Perguntas Frequentes


Qual a diferença entre laser de diodo e de neodimio?

Um laser de Neodimio Yag tem um comprimento de onda de 1.064 nanômetros. Neste comprimento de onda, a água começa a absorver luz e transformá-la em calor. Isto é um problema relevante, já que em vez de aquecer a melanina, que é o objetivo, é a água que se eleva de temperatura produzindo um duplo efeito:

• Mais incômodo e doloroso, já que grande parte da epiderme está composta por água.

• As células germinativas responsáveis pelo crescimento do pelo recebem uma parcela menor da energia do laser, já que parte dela foi absorvida por moléculas de água da epiderme.

Os parâmetros considerados ótimos pela comunidade científica internacional apontam para as características do laser de diodo de alta potência como aquele que melhor se enquadra nesses requisitos, e como o mais efetivo para a depilação, superando outras tecnologias bastante difundidas como NdYag, Alexandrita, e luz pulsada, sendo que esta última não é propriamente uma tecnologia de tratamento a laser, mas de luz comum.

Qual a diferença há entre laser de diodo e luz pulsada?

O laser de diodo utiliza como meio ativo um semicondutor denominado Diodo e é um instrumento preciso que foi exaustivamente testado. O espectro de luz emitido pelo laser Diodo é aproximadamente 810 nm, que é altamente absorvido pela melanina da pele e dos folículos pilosos. Tem sido considerado por alguns autores como o padrão ouro para depilação a laser, sendo considerado o mais efetivo atualmente no mercado. Pode ser indicado para todos os tipos de peles.

A luz pulsada é como uma simples lâmpada de flash (como as dos projetores), de mais alta potência e que se acende e se apaga em períodos de tempo muito curtos. (Por isso se chama pulsada). A luz branca por definição, que é a que emite a lâmpada de flash, está composta de uma banda de comprimentos de onda. Não há um só comprimento como no laser, mas uma faixa, por exemplo, entre 200 e 1000 nm. Como o que realmente interessa é a utilizar o comprimento de onda em que a energia da luz é absorvida pela melanina, coloca-se um filtro de cor que absorve (sempre pela zona baixa) uma parte desta luz. Por isso, o resultado final é de uma banda de luz que varia de 400 ou 600 nm até 1000 nm. É uma luz menos seletiva e consequentemente a energia se divide entre todos os comprimentos de onda da banda. A energia que corresponderia aos comprimentos de onda que são absorvidos pela melanina é pouca e baixa, motivo pelo qual os resultados são escassos. Por outro lado, não se pode aumentar essa energia, já que isso implicaria incrementar a energia em comprimentos de onda não desejados, que seria absorvida por outros elementos da pele e aquecer muito a lâmpada que o emite e que o faz em todas as direções.

Em geral não é bem indicada em peles escuras e pode ser necessário utilizar um numero maior de sessões. Pode-se concluir que a luz pulsada nunca será tão efetiva quanto o laser devido a uma limitação física e óptica das lâmpadas e dos filtros.

Todos os tratamentos a laser são iguais?

Não. Existem várias tecnologias no mercado com princípios diferentes, procedimentos, custos e resultados também muito diferentes.

Quais os riscos da Depilação a Laser?

Ainda que raros, os riscos do tratamento existem. Pode raramente ocorrer queimaduras superficiais com formação de cascas ou leves crostas ou a formação de bolhas, especialmente quando a pele esta bronzeada, que ao se desprenderem podem produzir hipopigmentação ou zonas claras e hiperpigmentação ou zonas que fiquem escurecidas. Pode-se dizer que todos os efeitos são reversíveis e geralmente em um período não superior a 06 meses a pele fica normalizada.
A depilação a laser pode causar câncer?
Não. Segundo a NR nº 15 do Ministerio do Trabalho e Emprego, o laser é considerado uma radiação não-ionizante. A depilação a laser não é oncogênica.

Há contra-indicações ao tratamento?

O tratamento laser deve ser aplicado, em regra geral, em peles sãs que não tenham sido agredidas recentemente, por isso está contra-indicado para peles que tenham sido submetidas a peelings químicos, ácidos glicólicos, retinóico, resurfacing com laser de erbio ou de CO2 nos últimos 6 meses. Também está contra-indicado para pessoas que estejam tomando isotretinoína (Roacutan®, Tigason®, Neotigason®), ou algum tipo de medicamento fotosensibilizante (que reaja com a luz), assim como neoplasias malignas, insuficiência renal, portadores de marcapassos ou outros dispositivos que possam apresentar alterações devido a alterações do campo eletro- magnético. Portadores de Lúpus, pessoas com fotossensibilidade ou problemas de cicatrização, bem como peles com feridas, acnes ativa, psoríases ativa ou inflamada também não devem ser tratadas com laser. Por último, se a área a depilar foi tratada com pinças ou cera não se deve aplicar o laser, já que não há pelo que transmita energia, o qual estaria contra-indicado, mas não por razões médicas senão por razões de efetividade.

Mulheres grávidas podem fazer depilação a laser?

Até hoje não foi demonstrado que tratar a mulheres grávidas seja um risco já que a profundidade do laser é muito pequena. Também é verdade que não foram feitos os estudos que se exigem quando se quer afirmar categoricamente que não afeta mulher grávida. Além disso, durante a gestação ocorre elevação dos níveis de hormônio melanocítico estimulante (MSH), estrógeno e progesterona que foram implicados na etiologia da hiperpigmentação. Por isso, para garantir maior segurança as nossas clientes, não tratamos mulheres grávidas. Caso a gravidez seja descoberta posteriormente a contratação do nosso serviço, suspenderemos o tratamento e recomeçaremos logo após a liberação do profissional médico.

O pelo loiro, ruivo ou penugem pode ser tratado?

O pelo loiro, ruivo ou penugem tem muito pouca carga de melanina e por isso o aquecimento da mesma é muito mais difícil. Por definição, se não há melanina não se pode conseguir bons resultados em depilação a LASER. Nestes casos, o número de sessões necessárias se prolonga notavelmente.

O pelo branco pode ser tratado?

O pelo branco não pode ser tratado, em função da ausência de melanina. Sem ela não há absorção da luz ou calor, que é o fenômeno que produz a eliminação das células germinativas.

Quem pode utilizar o laser?

Isto depende da legislação de cada país e a consideração que tenha o equipamento de médico ou estético. Em muitos países europeus e americanos, considera-se que o equipamento não trata nenhuma enfermidade, e por isso permite que qualquer pessoa do mundo da estética utilize o equipamento. No Brasil, ainda não há uma legislação própria. O tratamento na Fiolaser é aplicado por fiosterapeutas, pós-graduadas em dermato funcional, além do profissional médico, que está presente todos os dias em cada uma das suas unidades.

Qual é o intervalo adequado entre as sessões?

Entre 30 a 75 dias, dependendo da região, em função da mudança de fase dos pelos. O ciclo de crescimento do pelo é composto pelas fases anágena, catágena e telógena. Nesta última, o pelo se encontra em repouso, e não possui a haste subcutânea, de forma que não ocorre a absorção de calor do laser e transmissão para o bulbo do folículo piloso e para as células germinativas ao seu redor. Numa determinada sessão de tratamento, haverá sempre uma quantidade distribuída de pelos em cada uma das fases. Isso justifica e determina o intervalo entre as sessões, objetivando o máximo de efetividade do tratamento.

Pode-se tomar sol durante o tratamento?

Sim. No entanto, as tecnologias que usam laser para depilação podem atingir a melanina presente na pele durante o processo. Quanto menos bronzeada estiver a pele menor o risco. Portanto, pode-se tomar sol desde que sejam respeitados os prazos recomendados antes e depois de cada sessão, e evitando sempre que haja um bronzeamento residual no momento da sessão.

Que áreas podem ser tratadas?

O tratamento pode incluir todas as áreas do corpo humano, entretanto, por cautela, deve-se evitar a região das sobrancelhas, pela proximidade com os olhos.

A Depilação a Laser é dolorosa?

Quando falamos de dor, falamos de percepções subjetivas que são distintas em cada uma das pessoas, portanto a um mesmo estímulo, algumas pessoas sentem dor e outras não. Em geral, podemos dizer que o tratamento é bastante confortável e o depoimento da grande maioria dos clientes é de que não há dor.

A Depilação a Laser é recomendada para casos de foliculite?

Sim. A foliculite propriamente dita é a infecção do folículo provocada por bactérias e que ocorre no bulbo capilar. Há também a pseudo-foliculite, que ocorre quando o pelo fica encravado em função de haver sido raspado, depilado ou mesmo arrancado.
O tratamento dependerá do diagnóstico médico, mas em geral, a depilação a laser é a forma mais utilizada e a mais eficaz para tratar o problema. Os resultados têm mostrado que o laser propicia um efeito excelente desde o início das aplicações, deixando os pacientes satisfeitos com o tratamento, já que mesmo com a pequena diminuição de pelos das primeiras sessões, a redução inflamatória já é notável

Quantas sessões são necessárias para conseguir tratamento efetivo?

Não se pode falar de um número fixo de sessões, já que se depende do tipo de pelo, cor, tipo de pele, ciclo de pelo, zona a tratar, e outras características que só poderão ser elucidadas durante a avaliação clínica preliminar e ao longo do tratamento. Por isso, oferecemos alem da possibilidade de aquisição de sessões individuais, a aquisição de pacotes de até 10 sessões, pois ainda que o cliente não necessite de todas as sessões, terá um diferencial importante de preço e a possibilidade de um resultado mais efetivo.

A Depilação a Laser é definitiva?

O pelo eliminado é o que estava em fase ativa. Neste caso é destruído de forma definitiva. Porém, uma região de pele nunca tem todo o seu pelo simultaneamente em fase ativa. Alterações hormonais, naturais ou medicamentosas, por exemplo, podem estimular o surgimento de novos pelos. É por isso que consideramos o termo definitivo inadequado, pois pressupõe que na área tratada nunca mais existira qualquer pelo. É também por essa razão que são necessárias várias sessões ou mesmo sessões de manutenção com o passar dos anos.

A Depilação a Laser elimina totalmente os pelos?

O laser elimina uma alta porcentagem do pelo tratado, ou seja, aquele que está em fase ativa. Isso representa, em média, entre 70% e 90% dos pelos existentes.
O que não elimina é o pelo que está em fase de repouso e que pode passar para a fase ativa com o tempo.